Culturas Vivas no Memorial dos Povos Indígenas

O Centro de Trabalho Indigenista (CTI) firmou, em dezembro último, uma parceria com a Secretaria de Cultura do Distrito Federal para atuar na Preservação e Dinamização do Memorial dos Povos Indígenas (MPI), por meio do Projeto Culturas Vivas.

Projetado por Oscar Niemeyer, o MPI foi construído em 1987 e tombado em âmbito federal e distrital, como parte do Conjunto Urbanístico do Plano Piloto de Brasília e das obras de Niemeyer. Com cerca de 380 obras, sua coleção histórica foi reunida entre as décadas de 1940 e 1980 por Berta G. Ribeiro e Darcy Ribeiro, Eduardo Galvão, Orlando Villas-Boas e outros, contando ainda com peças adquiridas posteriormente.

O Projeto Culturas Vivas tem como objetivo geral a promoção, o reconhecimento e a valorização do patrimônio cultural indígena, buscando realçar o protagonismo das narrativas, ações, e lutas dos povos indígenas em defesa do exercício pleno de seus direitos e expressão de suas culturas.

A ideia é consolidar o Memorial como um espaço de referência na promoção, reconhecimento e valorização das identidades dos diversos povos indígenas no Brasil. Por meio da realização de eventos que envolvem arte e educação, o projeto evidencia as formas de expressão das culturas materiais e imateriais indígenas, ressaltando a importância da interculturalidade na compreensão da sociedade brasileira, e destacando o combate a premissas coloniais nas relações com esses povos no Brasil.

Desde o início recente do Projeto, diversas atividades vem sendo oferecidas ao público que circula na Capital, promovendo a diversidade sociocultural, buscando inserir artistas indígenas no circuito cultural brasiliense, e contribuindo no combate ao preconceito e estigmatização desses povos e com o fortalecimento de suas auto narrativas. Assim, desde abril desse ano acontecem no Memorial as Vivências Interculturais, onde artistas indígenas partilham saberes e histórias sobre suas trajetórias e trabalhos em interação dialógica com o público; as sessões do Cine-Memorial, evento de cinema e debates sobre filmes e produções audiovisuais indígenas e indigenistas sobre temas relacionados a questões indígenas; exposições com mediação realizada por indígenas residentes em Brasília; encontros e debates para fortalecer a articulação política entre os povos indígenas. O Projeto conta com um Conselho Participativo composto por representantes de organizações parceiras da sociedade civil indígenas e indigenistas, além de instituições públicas.

Acesse mais detalhes:

Portal – Centro de Trabalho Indigenista: https://bit.ly/2L4fcbr.

Portal – Secult: https://bit.ly/2kuL65B.

Anúncios